"No fim tu hás de ver que as coisas mais leves são as únicas
que o vento não conseguiu levar:
um estribilho antigo
um carinho no momento preciso
o folhear de um livro de poemas
o cheiro que tinha um dia o próprio vento..."

(Mário Quintana)

domingo, 1 de maio de 2011

Entre tanto amor,entretanto a dúvida .




 Era sonho e você me beliscou. Era céu e você me alcançou. O problema é que eu te amo, mesmo com as marquinhas dos beliscões, mesmo sentindo meu corpo meditando no centro da Terra . Caminhando na tua areia movediça, deixo-me cair quando te olho e volto a superfície quando dispersa os olhos.
 As interrogações roubam o papel de protagonista dos pontos finais na novela feita de frases que tento lhe escrever.
- O nosso amor basta .
- O nosso amor basta ?

 Em resposta, escolho ficar no meio termo, em meio de tantos termos, preferindo o incerto. Meio precipício, desses que a gente mergulha de cabeça e olhos fechados, sem saber o ponto certo em que o crânio se partirá. A expectativa de conhecer a deliciosa certeza estranha de nós dois, que mais me motiva a pular do trampolim.
  Mas se houver escuridão,acho que estarei ao teu lado,enxergando, com os olhos da alma, o futuro que nos há de vir ou nos dará adeus. E se ,por acaso, houver luz ,acho que ainda estarei de baixo do nosso cobertor, esperando o teu abraço e fazer moradia no teu peito e ,assim, fugir do clarear que provoca minha pupila.
 Enquanto houver inexatidão, eu vou te amar por nosso jeito ser assim de natureza duvidosa. Acostumei com o medo do que é real e concreto, já que tu afastastes o chão de mim desde quando me abriu o primeiro sorriso .
 Fico aqui, então , com nossas manias e carinhos, fico com o nosso cheiro,fico sentadinha no muro esperando vestígios teus no horinzonte. Fico com a certeza que é a incerteza de te amar. Fica  tudo aqui entre mim e você, entre nós, entretanto a solidão. Entre tanto amor, entretanto a dúvida .

3 comentários:

  1. Belíssimo texto, Amanda! Como todos, diga-se de passagem.
    Que amor intenso! É bom sentir essas sensações, mesmo quando o incerto se faz presente.
    O teu texto me fez lembrar de uma música do Jota Quest que diz: "Amar não é ter que ter sempre certeza, é aceitar que ninguém é perfeito pra ninguém..." Bem o que o teu post mostra.
    Parabéns pelas construções paradoxais, adoro a maneira com a qual externas os teus pensamentos.

    ResponderExcluir
  2. Que lindo texto menina! Talvez as incertezas traduzem e fundamentam o encanto desse amor...perfeito tb o título! bjs

    ResponderExcluir
  3. Muito interessante o blog !
    Deixo o meu aqui caso queira dar uma olhada, seguir...;

    www.bolgdoano.blogspot.com

    Muito Obrigada, desde já !

    ResponderExcluir